quinta-feira, maio 17, 2007

Talvez eu seja apenas uma mulherzinha... (na falta de um título melhor)



Primeiro eu vou tirar essa minha máscara de fodona. Vou parar de dizer que sexo gratuito é bom, pois 2 horas de prazer não superam os 30 minutos de arrependimento enquanto se veste a roupa. Sexo é bom, mas sexo gratuito, no fim, acaba sendo vazio.

Eu quero o que quase toda mulher quer, a minha família, a minha casa com cerquinhas brancas e um labrador no pátio. Eu sei que não aparento querer isso. Meu jeito descolado, despachado, de falar o que quero, de agir como homem, de parecer independente, me faz uma caricatura de mim mesma. Não que eu não seja descolada e despachada, pois meu jeito é esse, eu sento na mesa de bar com homens e bebo cerveja e falo de sexo, mesmo que todas as outras moças fiquem ruborizadas. Mas eu não sou só isso.

Eu sou mãe e pai. E por isso aprendi que se for a bonequinha de luxo esperando o príncipe em cavalo branco, a vida me engole. Aprendi que se a torneira da pia esta pingando eu tenho que ir lá arrumar e pronto, porque homens legais e prestativos não caem do seu. Eu sei trocar resistência de chuveiro e já montei o quarto do Bernardo sozinha. Mas isso não quer dizer que eu não seja mulher feminina, que eu não me irrite quando a minha unha quebra, e muito menos que eu tenha coragem de matar a barata que aparece no banheiro. Não subo em banquinho por que ai já é de mais também. Pulo por cima dela, e deixo ela trancada no banheiro no escuro, até resolver sumir da minha vida e me deixar fazer xixi em paz.

Eu falo o que quero, quando eu quero, porque tive provas que a vida é assim, ou você fala, ou você pode simplesmente ir embora sem ter deixado nada. Só que isso não significa que eu não queria perder as palavras, que eu não queria ter minhas frases cortadas em beijos. E muito menos que eu goste de tudo extremamente direto, e jogado na cara. Eu sei, não parece, não combina comigo, mas adoro um flerte barato e um pouco de glamour.

Só pode deixar de acreditar no amor, quem um dia acreditou. E eu não desacredito dele totalmente. Apenas não acredito mais em pessoa perfeita, em momento perfeito, para uma vida perfeita. Isso fez parte da pessoa que fui, e não da pessoa que pretendo ser. Mas é claro que o amor existe, que ainda tem pessoas que se apaixonam a primeira vista. Só acho que eu já vivi muitas coisas e já passei por situações de mais pra cair de paixão ao olhar pra uma linda cara, mesmo que essa mesma cara faça todas as minhas vontades. Vai levar um tempo, por que agora é com os dois pés no chão. Não entrego mais meu coração de bandeja. Ele vale mais. Bem mais que algumas palpitações e arrepios. Talvez esse seja o ponto que as pessoas menos compreendam. Porque o que mais vejo por ai é paixão acontece e pronto. Pode até ser. Já vivi isso. Só que agora ando precisando de um pouco mais.

Mas nada disso significa que quero que a pessoa deixe de abrir a porta do carro. Eu quero não apenas a porta do carro, mas o jantar a luz de velas. A música perfeita e conversa interessante. Por mais que tenha me tornado uma pessoa menos utópica, sou mulher, e ainda quero ouvir toda aquela preparação que o homem faz pra levar uma mulher pra cama, mesmo que eu tenha que ligar pra alguma amiga no dia seguinte e te mal dizer por ter sumido. Porque isso também é divertido, porque isso também faz parte de ser mulher.

Convite pra trepar eu recebo quase todo dia. E ta ficando vazio de mais. Preciso de um pouco de mentiras sinceras (mesmo que eu não me engane com elas). No fundo, bem lá no fundo, eu torço e acredito que um dia essa ladainha toda, vire verdade sincera. Eu sei isso ta ficando estranho, papo mulherzinha de mais pra esse blog né? Minha imagem de auto-suficiente-engraçada-sarcástica-e-despachada vai ser manchada. Mas eu sobrevivo. Preciso assumir que sou romântica. Mas não espalha pra ninguém. Ok?

7 comentários:

Sujeito Oculto disse...

No fundo, todos somos, mas passamos por fases mais arrogantes. Talvez você deva rever as suas exigências (eu li o manual, lembra?), porque se acaba perdendo muita gente boa por excesso de preciosismo na seleção.

ki-colado disse...

O bom é poder ser você mesma vencendo os laços da prisão que a sociedade nos impõe. Ser feliz é ser livre... poder confiar em outrém para ser livre.

Descobri isso e sou sem dúvida o homem atualmente pisante sobre a face da terra que mais felicidade carrega consigo.

Abomino rotinas e nunca sei o que vou fazer agora ou depois além de sentir-me eterno no meu presente!

Jaqueline Porto disse...

Não concordo com o Sujeito acima. Ninguém deve se subestimar apenas por medo de não encontrar alguém à altura. Eu não creio nisso. Só penso que precisamos deixar a porta aberta (mas sempre com a chave em stand by na fechadura) para se permitir conhecer a pessoa. Quantas vezes já colocamos rótulos em cinco minutos de conversa?! Várias vezes...e é justamente por isso que perdemos coisas boas.

ki-colado disse...

Grato pela sua bela visita ao blog metamorfose minha querida Janaína!

Desespero...

Loucura...

Será?

Certamente, eu não sou assim, mas já que estamos aqui, vou contar-lhe o que está acontecendo nessa maldita Internet.

Há mais de dois anos atrás eu decidi casar novamente, e quis recorrer aos amigos virtuais da Uol, site par-perfeito, e outros sites de encontros e relacionamentos.

Numa só virada de noite acessei mais de 600 perfis de garotas em busca de relacionamento, e devo ter enviado mais de 150 e-mails.

Dentre todos os perfis que vi, um deles em especial me chamou atenção por ser muitissimo exigênte. Tratava-se de uma garota que não queria ser tida como objeto sexual, pedia uma vida com os pés no chão, descartava romantismo que caia no comodismo e assim por diante...

Achei interessante porque ao meu ver delineava uma pessoa ciente do que estava buscando, e particularmente odeio quem fica em cima do "muro". Essa tal enviou-me resposta dentre muitas outras. Só que diferentemente, ela linkou ao e-mail o blog "metamorfosebloggistica" é isso mesmo, o blog originalmente não é meu!!! É de "Remédios, a bela" um personagem de Andrea Leidens. Bom a história é mais longa do que você pode imaginar, pois está acontecendo pela Internet a mais de dois anos.

Bom... o fato é que para conquista-la adotei uma tática de provoca-la e adoça-la simultaneamente.

Investigando os dados do blog fui até ela na cidade de Lajeado (RS) e descobri que a dita cuja era comprometida (noiva) depois de enviar-lhe uma quantidade de e-mails que daria para encher uma prateleira de livros.

Bem... eu não sei porque, deve ter dinheiro, ou alguma coisa envolvida porque até a Interpol entrou nesse caso. A policia de crimes por meios eletronicos me pediu para distanciar contato. O fato é que ela estava enviando-me spams e virus tanto para o Orkut como para meu e-mail pessoal dizendo poéticamente que me amava.

Até hoje eu ainda não entendi pq. essa bandida ainda não saiu de cima do "muro".

Reativei o blog metamorfosebloggistca, e escrevo coisas dizendo que vou casar, que ela iria me perder, e até você já entrou na dança, quando fiz aquele post com seu nome, e postei um texto seu referindo-se a alguém que deveria vir com tudo. Ela pensou que a gente estava em contato já fazia tempo (eu e você), até porque estava postando galanteios em seus comentários e ficou com ciúmes, pensando que nos tinha-mos algum caso para ser resolvido. (E não havia nada além de engano da parte dela). O fato é que já estou de saco cheio desse "ata não desata", e por isso estou querendo casar de vez com outra para sair da Internet.

É uma merda porque sinto que a minha arte e a minha poesia vai sumir junto com essa bandida!

Ela tem vários blogs abertos, e abre blog como quem abre a porta da geladeira de casa todos os dias.

Agora, o blog de contato por parte dela é...

www.minhaspalavrasvas.blogspot.com
(Dá uma espiada nos seus escritos)

E depois se quiser, veja um link dum pouquinho da correspondência que lhe enviei há anos passados e que está vagando pela Internet.

Agradeço-te se você souber como posso tirar os meus escritos do endereço que ela mesma criou em...

www.loucuradolouco.blogger.com.br

É só subir um pouco a página e vai aparecer uma poesia que escrevi na época intitulada Sonho, sonhar, sonhando. Uma boa parte da minha vida está escrita por mim mesmo nesse link que a dita cuja criou.


Tô de "saco cheio" desse ata não desata...

Dani disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
dani disse...

Por mais que a mulher desencanada, de personalidade e com mestrado em encantos e safadezas do universo masculino, no fundo busca um grande amor. Porque vc falou tudo, homem pra trepar tem em toda esquina, mas HOMEM interessante, inteligente e romântico não é fácil de achar. Pode deixar que eu guardo segredo viu? =)
bjs

Girassol disse...

Não te conheço, mas pelo que li neste texto, acho que todas as mulheres deviam ser assim!
Há aquelas que são princesas a tempo inteiro, coisa bem irritante e pouco interessante.
Há as que fingem ser princesas, mas não fazem ideia do que isso é..
E existem as mulheres que sabem ser tudo. Despachadas e sensíveis, fodonas e românticas, independentes e um pouquinho carentes de vez em quando, etc. Isso, é ser gente de verdade, não vou dizer que gente assim se dá sempre bem(pois não sou bruxa), mas pelo menos é autêntica, e pessoas assim sempre valem a pena!

Beijos