sexta-feira, agosto 10, 2007

O Amor - Segundo Caio Fernando Abreu

"E se realmente gostarem? Se o toque do outro de repente for bom? Bom, a palavra é essa. Se o outro for bom para você. Se te der vontade de viver. Se o cheiro do suor do outro também for bom. Se todos os cheiros do corpo do outro forem bons. O pé, no fim do dia. A boca, de manhã cedo. Bons, normais, comuns. Coisa de gente. Ninguém mais saberia deles se não enfiasse o nariz lá dentro, a língua lá dentro, bem dentro, no fundo das carnes, no meio dos cheiros. E se tudo isso que você acha nojento for exatamente o que chamam de amor? Quando você chega no mais íntimo. No tão íntimo, mas tão íntimo que de repente a palavra nojo não tem mais sentido. Você também tem cheiros. As pessoas têm cheiros, é natural. Os animais cheiram uns aos outros. No rabo. O que é que você queria? Rendas brancas imaculadas? Será que o amor não começa quando o nojo, higiene ou qualquer uma dessas palavrinhas burguesas e cristãs não tiver mais nenhum sentido? Se tudo isso, se tocar no outro, se não só tolerar e aceitar a merda do outro, mas não dar importância a ela ou até gostar, sem que isso seja necessariamente uma perversão, se tudo isso for o que chamam de amor. Amor no sentido de intimidade, de conhecimento muito, muito fundo. Da pobreza e também da nobreza do corpo do outro. Do teu próprio corpo que é igual, talvez tragicamente igual. O amor só acontece quando uma pessoa aceita que também é bicho. Se amor for a coragem de ser bicho. Se amor for a coragem da própria merda. E depois, um instante mais tarde, isso nem sequer será coragem nenhuma, porque deixou de ter importância. O que vale é ter conhecido o corpo de outra pessoa tão intimamente como você só conhece o seu próprio corpo. Porque então você se ama também." Pela noite/Estranhos Estrangeiros


Viciada nesse cara, e pirando a cabeça, a alma, a vida, as idéias, a cada coisa que leio...

11 comentários:

Bella disse...

"O que vale é ter conhecido o corpo de outra pessoa tão intimamente como você só conhece o seu próprio corpo. Porque então você se ama também."


È...gostei dessa parte!!!!


BOm fim de semana flor :)

Lorita disse...

Isso sim que é intimidade, não se envergonhar com os odores e sabores exóticos que emanam do ser de cada um de nós! rs...
bjm
bom fim de semana

Anônimo disse...

po cara eu havia lido, é q "texto" é o nome q geralmente dou p coisas escritas, desculpa minha ignorância,kkkk, mas muito obrigado pelas dicas, bjão
Janara, de janararefletindo.zip.net

Janara adorando... disse...

cara, muito louco isso q esse cara escrveu, mas pô legal a bessa, tipo faz refletir e se perder no texto, faz olhar lá dentro da gente e achar nossos sonhos mais profundos, gostei realmente...

EricaNNa disse...

Nossa!

...

*toma fôlego*


Nossa!

...

*sem fôlego mesmo*

Ge... ni... al...

A melhor e mais verdadeira definição de amor que já li na vida.

Estava Perdida no Mar disse...

Alguns criticos consideram Caio Fernando Abreu um discipulo contemporaneo de Lispector. Acho que bem isso mesmo, sem contar que vai mais fundo na "ferida". No rabo da palavra.
Ah, este post...realmente quase roubei e coloquei no meu. Mas era seu e respeito, mas me lembrou tanta coisa...uma pessoa muito especial...um conhecimento profundo...sem nojo de nada...
Ai ai...
Copiei e mandei pra ele por mail.
Beijos

Janara adorando... disse...

obrigada pela visita, fiquei um tempão pensando nesse texto, agora posso chamar de texto, né? Mas agora deixa eu ir lá, q to na facul, bjão

Amanda_Bia disse...

pefeito! simplesmente foda!
bejus!

Dani disse...

Olha, sem comentários viu?
Esse cara é 10!
bjs e bom finde.

interne-criez disse...

" E se realmente gostarem? Se o toque do outro de repente for bom? "

Perguntas ótimas, com ótimas respostas sugeridas pelo autor.
Amei o post.

Grande beijo :*

Vivi disse...

Percebi que vc gosta muito do meu conterraneo caio...
Mas a questão é, quem é o cara,q ue tu perdeu o nojo????heheheheh

Abraços