sexta-feira, agosto 24, 2007

Babel...

Desde as 8 horas olhando pra tela em branco sem saber o que fazer. Decidi, sei lá, colocar pra fora, nem sei que idéia. Não sei de nada. Pensar de mais, atrapalha. Definitivamente misturas de pensamentos causam pane. Minha vida adquiriu tons vermelhos, intensos, dramáticos, quase passionais. Pessoas acreditam que sei verbalizar sentimentos. Na verdade não sei. É dolorido. Como se quando os tirássemos de dentro de nós, estivéssemos abrindo uma porta para que pudessem nos machucar. Eu faço. Mas não com essa facilidade que imaginam. As coisas de mim são geralmente arrancadas. Extraídas. É melhor quando a gente não sabe. Quando a gente não vê. Porque depois que se olha. Não temos como fugir. Uma maquina fotográfica ao contrario, era o que queria também. A cada clic íamos retirando da nossa vida. Absorvendo. Extraindo o que não estivesse no lugar certo. Li isso da máquina em algum blog, não lembro qual. E achei que também queria uma dessas. Não que eu me arrependa do passado. Não. Mas lembranças são algo que podem ser extremamente doloridas. É isso que fode a nossa vida. Mesmo inconscientemente. Pensamentos. Sempre pensamentos. Tenho inveja de quem não pensa. Ou de quem é tão vazio que não tem nada pra pensar. Nada que doa. Se olhássemos nossa vida com lente de aumento, seria algo como uma comédia pastelão, um melodrama mexicano e um filme de Almodóvar. E esses vermelhos passionais aqui em volta? Vida deveria ser cor, cheiro e música. Eu acho que conseguiria classificar cada momento numa dessas categorias. Ficaria brega e piegas. Mas no fundo a gente é apenas isso, brega e piegas. Tentando parecer, cult, cool, popular, fodásticos. Não estou dizendo nada com nada. Hoje, eu seria vermelha, cheiraria a pão quente, e emanaria acordes da Marisa Monte. Viu? Eu disse, o ser humano nada mais é que pieguices. Coisa brega. Ninguém deve estar lendo isso mesmo. Eu não agüentaria passar da segunda linha desse texto sem pensar. Mais uma que se julga uma escritora complexa. Já teria desistido. Como a maioria deve ter feito. Não to mal não. Nem em sonho. É engarrafamento de pensamentos, sensações, vontades e dúvidas. Ai vira essa torre de babel. Ninguém entende nada. Nem eu. Tsc... Coisa tosca...

5 comentários:

interne-criez disse...

Engarrafamento de pensamentos...
Deixa oq já é confunso ainda mais...
Eu li !
E quero uma maquina dessas pra mim tbm...
Hahaha...

Beijo :*

Biá disse...

mas não entender nada é uma das coisas mais legais da vida, né não? É o que faz a gente rir com os amigos bebendo vinho, ver filme do Almodóvar... =)

Isabella disse...

"Como se quando os tirássemos de dentro de nós, estivéssemos abrindo uma porta para que pudessem nos machucar. "

E é assim mesmo.
:(
Mas pq tem que ser assim ne?

bjs

Sheila disse...

Olá, moça!

Tem prêmio para vc no meu blog. Passa lá, tá?

Beijo!

Vivi disse...

é..nao entendi nada mesmo.
E eu que achei que estava abstrata...
Otima semana.