segunda-feira, agosto 27, 2007

Drops, Drops, Drops...

- Sexta ganhei flores, girassóis, meus preferidos. E Cartas de Caio Fernando Abreu. O girassol tava despetelando, o grande, pétala por pétala, ai domingo, caiu de vez, ficou lá os brotos, esperam que nasçam, tanta ausência de sol aqui em Porto que nem sei. Cartas estou devorando, absorvendo, devagar com calma, tentando entrar na mente. Livro daqueles que te absorvem. Mas eu, mal agradecida, ainda achei o presente desnecessário, tantas coisas antes, tantas coisas mais importantes. E eu não consigo me desligar do livro. Bom de mais!

- Algumas pessoas me indicaram pra uns trens ai, blog não sei do quê, agradeço a todas, memória péssima pra lembrar um por um quem foram, se lembrar e achar repasso aqui, ou não, vai depender do momento. Assim com a corrente que a Cin me passou (valeuuuuuuuuuuuu muitooooooooo amigammmmmmm) se der faço, se não der também não faço. Ando assim, meio sem querer, querendo.

- Bernardo vendo uma matéria na TV sobre queimadas: “Ai mãe, coitada das minhocas, dos lagartos... (pausa para pensamento reflexivo) Sem falar nas lagartixas...”. Tudo depende da flexibilidade do rabo da lagartixa. E até Bernardo já sabe disso.

- Mila ta quase indo embora. E eu to aqui sofrendo por antecipação (sempre!). Mas amigaaaaammmm, não esquece antes de se mandar pra terra do sol nascente de me mandar a tua bolsa de penduricalhos! Kkkkkkkkkkkkkk

- Essa coisa de não segurar a língua e de ter ataques perto de gente lenta... Domingo, eu numa fila, estávamos no primeiro andar. Mocinha da minha frente, para na ponta da escada e pergunta pro menino “informações”, “segundo andar, é subindo?”, eu (que não tinha nada a ver com isso) atrás respondo antes dele: “não querida, descendo, com certeza...”. Menino informações cai na gargalhada, e eu jurei que a mocinha ia descer do salto e me enforcar.

- To devendo um livro meu pra Clara, da Isabel Alende, A casa dos Espíritos, pq a personagem, Clara, Claríssima, Clarividente, me lembra ela a Clara-Lu. Livro já ta até meio amarelado. Mas acho que é a cara dela. Vou mandar flor, vou mandarrrrr. Não chegou pro aniversário, mas te prometo que pro Natal chega. Ho ho ho ho.

- To com sono, acho que acumulado. Ontem 4 horas da manhã e eu vendo desenho com Bernardo, outro insone. As coisas são tão mais simples quando a gente vê desenhos. Eu até consigo esquecer dos meus PROBLEMAS, esses com as letras grandes.

- Saca quebra-cabeça? Quando a peça não encaixa? Então, tem uma peça que não ta encaixando e eu não to conseguindo entender... Mas isso merece um post.

- AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH! Nada não, só precisando gritar.

6 comentários:

Estava Perdida no Mar disse...

Ih...eu te indiquei lá no meu...
Ih, tô no aguardo do post do quebra-cabeça!!

Beijos

empty disse...

agradeço a visita, moça, belo teu espaço, voltarei com mais calma...
teu "entretantas..." me fez lembrar da música de raulzito seixas...

No lixo dos quintais
Na mesa do café
No amor dos carnavais
Na mão, no pé, oh
Tu estás, tu estás
No tapa e no perdão
No ódio e na oração
Teu nome é Yemanjah,
Yemanjah

E é Virgem Maria
É Glória e é Cecília
Na noite fria
Ou, minha mãe
Minha filha tu és qualquer
mulher
Mulher em qualquer dia
Bastou o teu olhar
Teu olhar
Pra me calar a voz
De onde está você
Rogai por nós
Ou ou ou
Minha mãe, minha mãe
Me ensina a segurar a barra
De te amar
Não estou cantando só
Cantamos todos nós
Mas cada um nasceu
Com a sua voz, Ou ou ou
Pra dizer, pra falar
De forma diferente
O que todo mundo sente
Segure a minha mão
Quando ela fraquejar
E não deixe a solidão me
assustar
Ou ou ou
Minha mãe, nossa mãe
e mata minha fome
Nas letras do teu nome
Ou ou ou
Minha mãe, nossa mãe
E mata minha fome
Nas letras do teu nome
Ou ou ou
minha mãe, nossa mãe
E mata minha fome
Na glória do teu nome...

beijos.
volte sempre!

Bella disse...

teu filho é demais rsrs

bjs

Elizabeth disse...

Uma amiga de outras épocas, muitos anos mesmo (cerca de 30), a quem perdi de vista há mais de 20, costumava desabafar assim: lá pelas tantas abria a janela de casa, soltava um grito imenso, um Ahhhhhhhhhhhhhhhhhh tremendo, que assustava e acordava a vizinhança em Copacabana. Fechava as janelas, deitava e dormia aliviada. Contava isto naturalmente, batendo papo com a gente na praia e eu ria, ria, ria tanto, imaginando que a enforcaria se ela fosse minha vizinha hahahahah
Lembrei-me disto ao ver o seu grito. Sabe que me deu vontade de gritar? eita...,
Desenhos animados, meu marido adora, eu gosto qdo são os antigos, Tom & Jerrry me fazem rir muito, lembro do papai me levando, bem pequenininha, para a matinê no domingo para ver as artes do gatinho safado e do ratinho mais ainda...rs
Beijos, eu demoro a vir aqui, quando venho sempre gosto tanto!
Beth
http://aconquista.zip.net

Lily disse...

eita, quanta coisa!
mas o lance do desenho me chamou atenção! vc tocou num detalhe crucial e é por isso q eu adoro desenho!
a fantasia nos redime da vida real, pelo menos um pouquinho! :)

e seu filho parece ser uma comédia! heheeh

bjkss

Vivi disse...

teu quebra cabeça nao tem nada haver com o girassol né....
ah, sabe como é...no blog quem nao entende, inventa...rs