terça-feira, setembro 18, 2007

Sensações...

Então naquele momento não faltava nada. Apesar de faltar tanta coisa. Mesmo eu ainda querendo tanta coisa. Naquele momento me senti completa. Estava simplesmente feliz. Fechava os olhos e me sentia embalada, meu corpo todo mexia. Sem mexer. Eu sabia que era embalada. Mesmo quando abria os olhos não havia ninguém ali. E eu me sentia completa. Me sentia feliz. Uma felicidade absurda. Algo que normalmente não esta em mim. Que me fazia rir na cara das pessoas. Mas não rir das pessoas. Rir para as pessoas. Aquele tipo de bobeira que te dá acessos de riso incontroláveis, que saem meio cuspidos, pois vamos tentando trancar, trancar... E eu ria, e eu chegava a chorar de tanto rir. Sem explicação. Simplesmente porque naquele momento, mesmo me faltando tanta coisa, não me faltava nada. Minhas mãos e pés entravam em transe. Dormentes. Formigava. E eu sabia por quê. Que estava ali para um propósito e tudo tinha sido como deveria ser. Não ficava parada. Não conseguia ficar. Era energia de mais. Felicidade de mais. Bobeira de mais. E eu levantava, dançava, ria. Depois me atirava de peixinho no colchão. E ria mais ainda. Ninguém entendia. Nem aquele negrinho que corria de bico azul me assustava. Eu ria mais. Nem o puxão do lençol que senti, mas não teve, me assustava. Eu ria mais de boba. Eu não sou assim. Eu sou mais debochada. E menos boba. Eu sou mais sarcástica. E menos inocente. Mas naquele momento eu só era inocência. Então dois dias depois eu chorei. O único momento que chorei. Foi de felicidade. Daqueles choros bobos. Que as lágrimas brotam e a gente ri junto. Quando voltei pra casa. Toda minha noção de espaço havia se perdido. Foram apenas dois dias. Mas me pareceram meses. Em dois dias me senti completa. Feliz. E nada me faltava. Nada. Eu havia sido visto o negrinho de bico azul correndo. Eu havia sentido puxões no meu lençol. Eu havia sido embalada por ninguém. Eu havia me sentido completa e feliz. Mesmo me faltando tanta coisa. O que mais iria querer?

4 comentários:

Magro disse...

Bom dia Jana.
Para ser bem sincero, apesar de ter achado o texto muito bom, fiquei “meio que boiando”... Mas isso é o que menos importa, o importante é que parece que você esta se sentido muito bem. E isso é bom.
Abraços.

Anônimo disse...

vc tomou chá de cogumelo? fumou maconha??? rsrs

essas sensações são sempre mto boas. por horas, eu adoro poder voar sem tirar os pés do chão.

bjo, linda. e continue feliz... sempre

luma disse...

Jana, quando se é mais nova, nos satisfazemos com menos e idealizamos um mundo mais perfeito. Conforme essa perfeição se esvai, a tendência é ser mais exigente com pessoas e situações. Como a vida é um ciclo, acho que na velhice tudo melhora! (rs*) Questão de aceitação!
*Nunca vi o negrinho de bico azul correndo.
Boa semana! Beijus

Amanda_Bia disse...

eu queria me sentir assim um pouco as vezes!!!
beijos!