quinta-feira, junho 28, 2007

Neverland

Eu quero ir embora desse planeta. Quero ir morar no mundo do Peter Pan. Onde as únicas preocupações são o Capitão Gancho e o crocodilo tic tac. Parar de crescer. Eterna criança ingênua. Ah como é bom ser criança. A gente não entende as crueldades desse mundo e nada dói. Vejo Bernardo comentando, quando vê alguma notícia “agora a policia vai lá e prende o bandido né mãe?”. Respondo que sim. Muito cedo para destruir essa inocência toda. Como explicar pra ele que muitas vezes a policia é o bandido. Assim como deve estar sendo difícil explicar para o menino de 7 anos que viu o pai e a mãe serem assassinados na tentativa de um roubo de carros em SP. Ele disse: “Primeiro atiraram na minha mãe, depois no meu pai e os dois desmaiaram”. Como se explica pra uma criança que esse desmaio foi eterno? Não dá. Simplesmente a gente não explica, e vai levando, emburrando a vida com a barriga até que um dia ele compreenda.

Eu quero dormir e acordar lá com os meninos da árvore. Jogar pó de pilimpimpim e voar. Voar pra bem longe daqui. Num lugar onde mais importante do que se time perdeu e ganhou, do que esse PANdemônio que se instalou no RJ e do que declarações que aqueles palhaços que mantemos em Brasília fazem, é que pessoas não passem fome, que gente (como a gente) não durma na rua, e que crianças não conheçam o som de tiroteios, que não saibam diferenciar uma pistola, de um revolver, e que não tenham que se esconder embaixo de camas para dormir.

Não quero mais abrir jornais. Não quer ser forçada a saber o que acontece no mundo. Que crianças continuam morrendo de fome na África, enquanto toneladas de comidas são jogadas fora todos os dias no resto do mundo. Não quero mais abrir a janela da minha casa e me deparar com gente procurando comida em sacos de lixo. Quero um mundo onde isso não exista. Onde fome, miséria, sofrimento, dor, violência, não sejam palavras conhecidas.

Vou para um mundo onde a gente leia clássicos infantis, Drumond, Pessoa, Vinicius, Clarice, Caio Fernando... A Wendy vai sentar e nos narrar contos, que nos farão sonhar com príncipes, princesas e finais felizes. Lá eu devo voltar a acreditar em finais felizes.

Estou cansada de tanto desastre, de tanta coisa cinza, de crianças com olhos úmidos pedindo socorro. E eu aqui me sentindo inerte, impotente, tentando ao menos deixar meu filho a salvo de tudo isso. Fazendo com que ele acredite em Papai Noel, Coelho da Páscoa, Fada do Dente... Porque não quero que ele perca a esperança. Porque não quero que ele deixe de acreditar que ainda tem jeito. Pois eu já deixei de acreditar. Porque por mais que ele saiba que precisa comer toda comida do prato, pois tem crianças que não tem o que comer. Que ele saiba que tem dar suas roupas que não servem mais, seus brinquedos que não brinca mais, ele ainda acha que a fantasia existe, e que policia prende ladrão. Só que eu ainda tenho que tentar responder porque o Papai Noel não consegue levar presentes no Natal para todas as crianças...

É isso, vou lá pro mundo do Peter Pan. Pois é lá que devem estar o Papai Noel, o Coelho da Páscoa, a Fada do Dente... E todos aqueles, que assim como eu perderam a esperança nessa gente. É lá que vocês podem me procurar, Terra do Nunca...

8 comentários:

interne-criez disse...

Concordo com você.
Lá deve ser bem melhor de se viver...
A parte do PANdemônio foi sensacional ! =P

beijão.
:*

Estava Perdida no Mar disse...

Nossa, chorei com este texto. Tb estou tão cansada de tudo. Cansada de ver tanto absurdo. Cansada de saber o grande erro que cometo na minha profissão não lendo jornal. Realmente, não leio. E ainda tento ensinar aos meus sobrinhos um pouco de fantasia. Ensinar que Deus existe. Aí eles me perguntam porque tanta gente passa fome. Engulo à seco pois não sei responder e fico irada comigo mesmo por não conseguir fazer nada para ajudar.
BEijos querida

Vivi disse...

ixe...uma "vivian" dominou teu corpo é?simplesmente lindo teu texto..amei.
Bom final de semana.
Bj

J@de disse...

Puxa Jana que texto intenso, fiquei com os olhos marejados... seria tão bom se esse nosso mundo fosse um pouco diferente...
Mil beijos!!

Lorita disse...

Ai queridona, joga um pouquinho do pó da Sininho em mim tb? tou precisadinha de inocencia infantil, nesse momento!

bjo, bom fim de semana

o alquimista disse...

Saberás que os sonhos, moram nas gotas de orvalho que um arco-íris solta, em coração desencontrado. Saberás que os passos errantes de um louco na procura do norte, não deixam marcas no pó, tão pouco são rumo para a sorte.

Bom fim de semana


Doce beijo

Amanda_Bia disse...

qdo vc for, me leva na mala!
beijos!

Mel disse...

Jana, não está nada fácil viver ultimamente. Quantas vezes penso nisso e me assusto com o que o futuro pode nos reservar. E de repente sinto uma falta danada daquele tempo mais calmo que não vivi, mas que estão nos filmes e memórias dos nossos mais velhos.
Um beijo