quinta-feira, março 22, 2007

Sem tempo pra embolação.



Eu acho que quanto mais o tempo passa, mais exigente ficamos. E eu acho que esse “mais exigente” chegou pra mim talvez cedo demais. Sinceramente homem pra mim tem que ter uma listinha de pré-requisitos básicos (que incluem sem hipocrisia desde não andar a pé até não ter problemas de cunho emocional com a mãe), e se não atende essa lista, só lamento, mas não vou te dar o tempo que precisa pra mostrar o quão legal e interessante você possa vir a ser. Não tenho saco e ponto.

Eu não tenho mais paciência, pra baladas, ao menos não no ritmo de antes, sem saco algum pra tentar descobrir se “ah pode ser que seja ele” é realmente ele. Antes eu via as qualidades e depois encontrava os defeitos. E ai, já envolvida achava até os defeitos bonitinhos. Hoje, eu vejo os defeitos a quilômetros de distância, e dependo de quais forem não perco meu tempo pra tentar ver as qualidades. Falta de paciência? Rabugice? Que seja. Acho que apenas um certo grau de exigência não anda fazendo mal a ninguém.

Pra rolar agora, eu tenho que bater o olho, me apaixonar, ver defeitos e qualidades e mesmo assim achar “é esse”, nada de “poderia ser esse”, “com algumas mudanças até dava pra ser esse” ou “será que é esse?”. Tenho que ter certeza “é esse”, e pular toda aquela parte do “eu gosto de você, mas vou fazer um certo charme”, dos joguinhos sentimentais, e ir direto pro assunto. Você me quer, eu te quero. Pronto é assim simples. Só falta-me encontrar quem eu queira e quem me queira, ai fica simples.

Eu sei se poderia vir a me apaixonar por alguém na primeira troca de olhares. E agora se não sentir que rola, nem tento. É por isso que não aceito sair com o carinha que me convida toda semana umas quatro ou cinco vezes. Acho tempo desperdiçado. Da mesma forma é tempo desperdiçado quando gostamos de alguém e não recebemos o mesmo retorno. Aprendi com o tempo que ele simplesmente pode não estar a fim de mim. E tudo que irei conseguir é algum sexo eventual em uma noite entediante. Nada de despertar paixões avassaladoras.

Eu sei, além de mais exigente, me tornei chata. Mas uma chata que não fica ai perdendo tempo com embolação. Ok, e uma chata bem interessante (modéstia nunca foi meu forte...).

6 comentários:

Aju disse...

Ah, bem vinda ao clube :P~

dela disse...

Parabéns prá vc que alcançou isso 15 anos antes de mim!! Mas sem querer ser pessimista, acho que vai demorar um tempinho prá encontrar alguém que atenda seus pré-requisitos (principalmente não ter problemas com a mãe) viu? hehehehehe!!
Beijos!!

Hoppus disse...

Eiiita, heeehhehe

Cansou do velho charminho hein??

beijos.

Fernanda disse...

"Antes eu via as qualidades e depois encontrava os defeitos. E ai, já envolvida achava até os defeitos bonitinhos. Hoje, eu vejo os defeitos a quilômetros de distância, e dependo de quais forem não perco "

Muito bom! rsrs...

Acho que com o tempo todas as pessoas se tornam mais exigentes, é um efeito colateral da experiência adquirida... bjs

Lily disse...

nossa!
adorei o texto!

eu tb tenho uns pré-requisitos e não entendo qm não os tenha, ou então q tenha poucos deles!

pq tem gente q se apaixona ou então se deixa levar pelo 1º q aparece... ah cara! não rola!!

ahh!
eu add o seu blog nos amigos lá do meu, ok??

bjssss

Amanda Gris disse...

As paixões avassaladoras estão em extinção!
É uma pena... pq são maravilhosas, dão outro sabor à vida.
Pra se viver uma paixão avassaladora hoje (sinceramente) a gente tem que ser muito criativa.

Bj