segunda-feira, janeiro 22, 2007

Além da Vontade

Eu não quero, eu definitivamente fujo disso, preencho minha mente com coisas múltiplas. Desde idéias de ONG’s absurdas a pensamentos complexos sobre a vida. Tudo para não dar bobeira ao destino e deixar você entrar na minha mente. Mas tem horas que é inevitável. Quando eu vejo aquele cantor (que eu nem gosto) eu me lembro de você. Impossível não lembrar, mesmo rosto, mesmo estilo, mesma pinta!!! Então eu lembro de como você foi idiota, de como você colocou tudo por água abaixo, e eu tenho ficar assim, me lembrando só das merdas que você fez. Mas nem sempre dá. Uma das coisas que eu mais odeio no ser humano é de não conseguir controlar os pensamentos. E eu acabo lembrando de coisas boas, dos risos, dos beijos, do sexo... E acabo sentindo sua falta. Não quero sentir falta de você. O problema de sentir falta de alguém em específico é que nunca iremos substituir isso, sempre vai ficar aquele buraco, aquele vazio. Mil vezes sentir falta de sentimentos, de sensações. Mil vezes sentir falta de amar do que sentir falta de amar você. Eu me odeio por isso.

Hoje senti sua falta, hoje lembrei de você, quando acordei, logo que abri os olhos você veio na minha cabeça. Mau presságio. Vou ficar com você o dia todo no meu pensamento. E eu me odeio por isso. Mas odeio mais você. Como pode entrar na minha vida dessa forma e depois simplesmente ir. Como pode achar que eu me acostumaria com isso. Não tivemos uma música nossa, mas eu tenho infinitas músicas suas. E isso me dilacera o peito. Confesso que o orgulho me fere, tanto quanto a sua ausência, antes de você eu nunca via alguém ir embora da minha vida, geralmente era eu que partia. E confesso que prefiro olhar pra frente a ver as costas de alguém se distanciarem sem olhar pra trás.

É uma mistura de sensações. Porque eu sei que deveria odiar você. Porque você me deu todos os motivos do mundo pra ter nojo, pra riscar você da minha vida. Mas eu não apreendi a ser riscada da vida de ninguém. Eu não lido bem com a rejeição, admito. Eu tenho todos os bons motivos que fariam uma mulher comum, te odiar, te ignorar... Mas eu não sou uma mulher comum. Se te quero de volta? Nem de joelhos eu te aceitaria. É sério. Pois uma coisa é sentir a falta, a dor física que sua ausência me trás. Outra é querer viver tudo aquilo novamente, mesmo que eu ditasse as regras, mesmo que eu desse as cartas. Porque de tudo que você já disse sobre mim, a única coisa certa é que meu orgulho ainda é o maior dos meus sentimentos.

6 comentários:

Hoppus disse...

é..., acontece na vida (TNT), quando estamos no topo e nos achamos "donos" da situação tem sempre alguma coisa ou alguém para puxar o tapete...

Soraya disse...

Oi Janinha, consegui linkar vc!! Agora o Entre Tantas... Eu aparece nos blogs que eu leio!!! Vc está passando por uma fase parecida com a minha e me vi na mesma situação. Entendo bem isso... a gente sabe que não devia gostar mais do cretino, mas gosta! Bjos

Jéssica disse...

Quem um dia não passou por situação parecida?
'fais parti'...rs...
O importante é agir não só com o coração, senão pode desandar.
Beijo e uma noite tranquila procê*.*

Vanessa disse...

Ai... ai...

Mas... essa frase é perfeita e muito minha:
"Não tivemos uma música nossa, mas eu tenho infinitas músicas suas."

Q coisa mais linda...
beijocass

Daniela Pedrinha disse...

Dói, mas passa.... os sentimentos tem que ser vividos, sentidos, ainda que não nos causem as melhores sensações querida...

Saber oq ue vc quer é um adianto e tanto na vida, acredite! E vc sabe Jana! Beijos doces pra vc e um abraço bem carinhoso, daqueles que a gente se aconchega e se sente amparada.

Anônimo disse...

Jana,

Realmente, existem momentos ruins que causam dor, sofrimento, más lembranças... mas sabe porque tbm existe essa "saudade" das coisas boas, exatamente por terem sido intensas.
Se parar pra pensar... faltou muita coisa, os dois erraram, os dois falaram demais, os dois pensaram alto, os dois atropelaram a situação... e no fim tudo desabou. Culpados.. são os dois por terem tomado as atitudes erradas.. ou simplesmente por Não ter tomado atitude alguma.
Não sei se o texto é a meu respeito, pode ser, pq mta coisa se encaixa. Mas concordo contigo, não da pra querer devolta, mas da pra desejar voltar no tempo e mudar o q gostaríamos de ter feito nos momentos certos, falado naquela hora q ficamos mudos, ligado naquela hora q deu saudade, entendido mais qdo ficamos cegos e botamos os pés pelas mãos.

Bjo!
Ass.
Aquele Cara do Teu Passado.