terça-feira, janeiro 08, 2008

Sem graça...

Não esperem muito desse post. Eu sei. Eu ando uma chata. Ando completamente vazia de assunto. Vazia de muitas coisas. Na verdade acho que nem engraçada eu ando mais. Ando dispensando todos os homo sapiens que aparecem perto de mim. Porque sinceramente de sapiens eles não tem quase nada. Aprendi a ler cada uma das mensagens subliminares que eles andam emanando por ai, e não to caindo nelas. Antes eu lia e deixava-me cair com consciência. Saca aquela coisa de mentira consentida. É. Eu acreditava naquele bando de mentiras sinceras. Era enganada com meu consentimento. Que grande desperdiço de tempo! O meu claro. Agora meu tempo tem valido muito, mesmo que o esteja gastando com horas atiradas no sofá relendo meus livros. Tem valido mais, do que aquele arrependimento que vem logo depois que me deixava ser levada (a qualquer lugar). Eu não gosto de solidão. Eu sou aquele tipo de pessoa que nunca gostou de ficar sozinha em casa. Mas aprendi que minha companhia acaba sendo melhor do que esse tipo de companhia que não me agrega em nada. Melhor o tempo perdido, do que ficar perdendo tempo. Sim, tem horas que me bate uma carência absurda (naquelas que nenhuma amiga pode fazer algo) e eu quase ligo pra um boçal desses que nitidamente só estão interessados no que eu tenho no meio das pernas e pergunto “qual a boa de hoje?”. Mas conto até 10, respiro e penso “não vale a minha ligação”. Volto pro meu sofá (eu agora ando querendo um puff) e pras minhas releituras. Já ouvi que ando ficando velha e seletiva de mais. Mas me digam que mal há numa seleção? Me diz o que no fundo ganhamos saindo por ai com esses tipos que não estam nem um pouco interessado em saber o que você pensa, o que você é? Eu acabava perdendo bem mais do que ganhando. Perdendo meu tempo. Perdendo a minha calma. Perdendo a pose. Perdendo o saco. Perdendo a noite. Sabem eu posso até ter perdido a graça, mas não perdi o humor. Eu posso até ter ficado mais chata. Mas estou me privando de um monte de arrependimentos futuros. E pra isso nem me importo de andar meio sem sal...

4 comentários:

Estava Perdida no Mar disse...

Hahaha.
Engraçado, que quando a gente decide ser mulherzinha tudo fica mais nítido. Tb tenho percebido as propostas disfarçadas e não caío mais. Dá uma sensação meio chata no início...mas depois vem a sensação da virória. Estilo: mentiras sinceras me interessam, saca? Para mim não interessam mais não.
Beijos
Ps: Mas hj a minha mão coçou no telefone para perguntar qual é a boa..desisti. Não valia mesmo.

ki-colado disse...

Boa Jana... tu vens de acordo com a última postagem no metamorfose... transformar-se em algo novo mesmo que chato vale a pena quando a alma não é pequena.

Amanda Bia disse...

cara eu tenho 21 anos e concordo com tudo que tú disse! será que quando chegar na tua idade vou ser uma solteirona sozinha que não suporta homem nenhum?! que destino obscuro esse!
beijos!

VC disse...

OI, por intermédio de uma amiga cheguei ao seu blog.
Gostei, referente a este post e me identifiquei com a frase: "Sabem eu posso até ter perdido a graça, mas não perdi o humor."