terça-feira, janeiro 22, 2008

Continuando a Produtividade



- Insônia, tem épocas que me persegue. Ando numa. Não, não tem uma explicação, não tem um motivo, não tem um problema, apenas aparece. E a infeliz resolveu dar o ar da graça. Acontece que fico o dia destruída, mas chega à noite, só deitar na cama que todo sono e cansaço desaparecem. Um inferno.

- Eu vou pra praia nas férias. Ou ia. Nem sei mais. Tava tudo certo, ia pra casa do meu irmão que mora lá. Mandei um e-mail perguntando/avisando/comunicando, respondeu dizendo que as coisas por lá andavam meio “sinistras” e que me dizia durante a semana. Não sei, talvez babe. Se de fato não der certo e não arrumar alguém pra dividir uma casa ou uma pousada bem em conta, não rola. Se não rolar Bernardo vai ter um troço, a um mês ele só fala dessas férias.

- Eu nunca tive um janeiro sozinha em casa tão comportada. Uma eximia dona de casa, sem a parte de lavar e passar todo dia, mas assim, bem caseira. Janeiro chegando ao fim da uma sensação de “bom, eu acho que evolui” e outra “que merda, perdi um mês inteiro de festa”. Mas sei lá, não aconteceu. Ou melhor. Aconteceu assim. Então por algum motivo que eu ainda desconheço deve ter servido para alguma coisa. Eu espero.

- Acabei de reler Cartas, do Caio Fodástico de Abreu. Talvez agora essa nostalgia e esse buraco tão cheio dêem um tempo. Ou não. Vai depender do que vou ler. Pensei em reler “A Casa dos Budas Ditosos” do João Ubaldo, talvez assim aflore a cachorra que mora em mim e eu não tenho a mínima idéia de onde foi parar.

- Assisti “Avassaladoras” ontem a noite na TV. Já tinha visto. Nada de surpreendente o filme, mas impossível não pensar ou não se reconhecer.

- Contar pra vocês sem dar nome aos bois. Quinta fui ao aniversário de uma amiga. Trinta anos (ano que vem sou eu!), um pub meio Irlandês (acho!) e encontrei um cara ai que já esteve por aqui nos posts. Tanto lugar pra sair e tínhamos que ir para o mesmo lugar. Tava ele e a namorada. Veio me dar oi, me apresentou a namorada. Bem eu achei que a menina tava grávida! Como tava sem óculos e sem lente (que até agora não sei onde as enfiei) fui assim tirar a dúvida. Perguntei pra aniversariante, ela confirmou, gravidez gritante. Eventualmente eu e o cara nos falamos (motivos profissionais), então no dia seguinte ao aniversário nos falamos, fui obviamente dar os parabéns pelo Baby. Silêncio cortante doutro lado da linha. Eu sentindo a bola fora: “ela ta grávida, não ta?”. Não! Não estava. Só não quis um buraco pra me enfiar porque sou mais debochada do que envergonhada e cai na risada. Ria e pedia desculpas ao mesmo tempo... E só consegui pensar que a gente reclama de barriga cheia. Confesso que fez um bem filha-da-puta pro meu ego!

6 comentários:

Lili disse...

Quase morri de ria aqui, fiquei imaginando vc perguntando pra ele sobre a gravides, hahaha

Nossa q ruim deve ser insônia, eu nunca tive, é só encostar q eu durmo facinho!
bjinhussss pra vc!

Amanda Bia disse...

huauhauhuah! que mancada!!! pelo menos vc falou p/ ele e não p/ a menina!
beijos!

F. S. Júnior disse...

a cena deve ter sido hilária...rsrs...

agora... achei engraçado... este é o segundo blog que leio hoje e cita A Casa dos Buda Ditosos... pelo jeito vou ficar com vontade de ler... rs

beijos

Dani disse...

Porra, esse mico do grávida acho que todos já passaram.
Pior é quando te perguntam. Uma vez eu estava na praia e me perguntaram se eu estava amamentando, kkkkkkkkk
Só pq sou uma mulher de peito de verdade, sem silicones.
bjossss

Estava Perdida no Mar disse...

Caraca...nunca mais reclamo do meu corpo depois deste post. Putz, parecer grávida e não estar. Coitada dela. Ah, este cara...acho que sei quem é...acho que lembro de vc citar ele aqui uns tempos atrás...
Meu janeiro tb foi bem calminho dentro de casa, cineminha, teatrinho com as amigas e mais nada...Aff...
Como diz a música de Chico.
Tô me guardando pra quando o carnaval chegar

Daah disse...

Putz, que bola fora!
rs